Share |

BE quer conhecer medidas dos hospitais e centros de saúde do distrito para combater surto de sarampo

O Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre as medidas que estão a ser implementadas em todas unidades de saúde públicas do distrito de Braga para fazer face ao surto de sarampo na região norte. O Bloco de Esquerda está preocupado com a situação, uma vez que “neste momento, regista-se em Portugal, um surto de sarampo, com particular indecência na zona norte do país, estando diagnosticadas 62 pessoas com a doença, entre as quais se encontram vários profissionais de saúde”.

Nos documentos entregues na Assembleia da República, o Bloco de Esquerda refere que “o sarampo, uma infeção provocada por um vírus, é uma doença altamente contagiosa que se transmite de pessoa-a-pessoa, por via aérea” e acrescenta que “habitualmente a doença é uma doença benigna mas, em alguns casos, pode ser grave e até levar à morte, pelo que a melhor e mais eficaz prevenção para a o sarampo é a vacina”.

As perguntas entregues pelo grupo parlamentar do Bloco de Esquerda visam o Hospital da Senhora da Oliveira em Guimarães, o Hospital Santa Maria Maior, em Barcelos, o Hospital de Famalicão, o Agrupamento de Centros de Saúde Cávado III – Barcelos/Esposende, o Agrupamento de Centros de Saúde Ave – Famalicão, o Agrupamento de Centros de Saúde Cávado II – Gerês/Cabreira, o Agrupamento de Centros de Saúde Alto Ave - Guimarães/Vizela/Terras de Basto e o Agrupamento de Centros de Saúde Cávado I – Braga.