Share |

BE solidariza-se com a luta dos trabalhadores têxteis, do vestuário e do calçado

Foto de FESETE (retirada de Facebook.com)

O Bloco de Esquerda, considerando a justa luta dos Trabalhadores Têxteis, do Vestuário e do Calçado, solidariza-se com a greve anunciada para o dia 23 de Março pela Federação dos Sindicatos dos respetivos setores pelo aumento de salário e pela melhoria das condições de trabalho.

O Bloco de Esquerda, a fim de evitar qualquer inação ou mesmo bloqueio patronal para aumentar os salários, com eventual assentimento do Governo, negociou e bem com o PS o aumento faseado do salário mínimo – o que tem garantido, na Assembleia da República, a aprovação pelo PS, pelo BE, pelo PCP e pelo PEV o aumento gradual do salário mínimo nacional até aos atuais 580 euros e aos 600 euros a 1 Janeiro de 2019 – com vista a repor a perda salarial ocorrida nos últimos anos, particularmente com a política de austeridade e empobrecimento proposta pela Troika e executada caninamente e mesmo para além da Troika pelo anterior governo PSD/CDS em favor do capital.

O Bloco de Esquerda, estando, porém, ciente, não só da degradação das condições de trabalho como do aumento da produtividade e da presente conjuntura favorável com maior procura interna e externa – a qual tem permitido o aumento de lucros para o patronato – considera haver condições de reivindicar o aumento salarial e a melhoria das condições de trabalho para os trabalhadores dos referidos sectores.

Pelas razões apontadas, a Comissão Distrital do Bloco de Esquerda solidariza-se com a justa luta dos trabalhadores e a anunciada greve a 23 de Março do corrente ano de 2018 levada a cabo pelos Trabalhadores Têxteis, do Vestuário e do Calçado.