Share |

"A luta veste-se de negro" para receber Merkel

Estátua no Rossio já tem faixas pretas. O protesto na visita de Angela Merkel foi antecipado para as 13h de segunda-feira.

Numa conferência de imprensa no Rossio, com a estátua de Dom Pedro IV parcialmente tapada com uma faixa negra, Rui Franco apresentou as intenções deste protesto marcado para o dia da visita da chanceler alemã a Portugal. "Ela não é a arqui-inimiga [dos portugueses], mas a representação absoluta – um símbolo - do que está de errado não só em Portugal como em toda a Europa", afirmou à Agência Lusa, realçando que é também a "voz que dá legitimidade a este Governo".

"Queremos afirmar que a chanceler não manda aqui (…) Queremos dizer-lhe que não estamos à venda, apesar de a incompetente liderança do nosso país não ter qualquer pudor em entregar-nos ao desbarato", refere o manifesto "A Luta Veste-Se de Negro".

Questionado pelos jornalistas sobre os relatórios que a imprensa tem divulgado antes das manifestações cidadãs, prevendo situações de violência nos protestos, Rui Franco ironizou, dizendo que "não há agência de rating para esses relatórios, porque se houvesse, de certeza teriam um rating CCC-", ou seja, lixo. "Houve manifestações com centenas de milhares de pessoas na rua e nunca descambou. Estes relatórios, na verdade, são alarmismos criados para tentar dissuadir as pessoas de participarem socialmente", acrescentou o ativista que também foi subscritor do protesto "Que se lixe a troika" que juntou um milhão de pessoas em todo o país no dia 15 de setembro.