Share |

“É preciso colocar outras coisas na agenda além dos mercados”

Marisa Matias

Decorreu este domingo, em Braga, a última sessão de apresentação da candidatura de Marisa Matias a Presidente da República. A candidata, que se fez acompanhar de Catarina Martins, Pedro Soares e pela mandatária distrital Helena Magalhães, frisou que é preciso “fazer das instituições um retrato fiel das pessoas que representam” e que chega de uma Presidência da República “indiferente aos cidadãos e às dificuldades de quem representa”. 

A eurodeputada lembrou que é ao Presidente da República que cabe “mobilizar o país para as questões relevantes que são não apenas para o país mas também para os cidadãos” e “deixar aquela história do fim do dia do papão dos mercados”, como o faz Cavaco Silva, que “só” fala para os mercados. 

No dia em que, um pouco por todo o mundo, milhares se manifestaram pelo clima, a candidata pediu aos restantes candidatos e candidatas, uma posição muito clara em relação a todos os temas, da paz ao clima, e prometeu trazer para o debate político questões como as alterações climáticas e a eficiência energética.

Já Catarina Martins, frisou que o Bloco de Esquerda está empenhado em “permitir que haja um Orçamento do Estado que possa, em breve, ser construído e começar a repor as condições de vida digna no país para quem trabalha, trabalhou toda a vida". A porta-voz bloquista sublinhou, também, que o Programa do PS já tem as medidas negociadas com a esquerda (e com o Bloco), como a reposição dos rendimentos, dos salários e das pensões, e medidas para defender a proteção social e dignidade d quem vive neste pais, defender o Estado Social, parar as privatizações".

Para Pedro Soares, deputado do Bloco e Presidente da Comissão Parlamentar do Ambiente, é um erro “pensar que os problemas ambientais são menores, ou menos prioritários, relativamente aos que nos são colocados por outros aspectos, e lembrou o extenso trabalho que Marisa Matias tem desenvolvido na área do ambiente, considerando que ter uma Presidente da República com essa “sensibilidade e profundo conhecimento” seria muito importante e um factor de projeção do nosso país, por boas razões”.

Na Sic Notícias